sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Nós somos a soma das nossas decisões...

Fizeram a gente acreditar que cada um de nós é a metade de uma laranja e que a vida só ganha sentido quando encontramos a outra metade. Não contaram que já nascemos inteiros, que ninguém em nossa vida merece carregar nas costas a responsabilidade de completar o que nos falta. A gente cresce através da gente mesmo, se estivermos em boa companhia, é só mais agradável.
A gente é o que escolhemos ser, o destino pouco tem a ver com isso. Ao fazer uma opção, estamos descartando outra, e de opção em opção vamos tecendo um emaranhado de dúvidas, incertezas, insegurança, mas também de decisões bem tomadas, de respostas, de certezas. Vamos chamar esse emaranhado de "minha vida". Ora! Não é tarefa fácil. No momento em que se escolhe a opção "A", se está abrindo mão da opção "B". No amor, a mesma coisa: namora-se um, outro, e mais outro, num excitante vaivém de romances. Até que chega um momento em que é preciso decidir entre passar o resto da vida sem compromisso formal com alguém, apenas vivenciando amores e deixando-os ir embora quando se findam, ou casar, e através do casamento fundar uma sociedade, com direito a casa própria, orçamento doméstico e responsabilidades. As duas opções têm seus prós e contras: Todas as alternativas são válidas, mas há um preço a pagar por elas.
Quem dera pudéssemos ser uma pessoa diferente a cada 6 meses, ser casados de segunda a sexta e solteiros nos finais de semana, ter filhos quando se está bem-disposto e não tê-los quando se está cansado. Por isso é tão importante o auto conhecimento. Nossas escolhas não podem ser apenas intuitivas, elas têm que refletir o que a gente é. Lógico que se deve reavaliar decisões e trocar de caminho: ninguém é o mesmo para sempre. Mas essas mudanças de rota venham para acrescentar, e não para anular a vivência do caminho anteriormente percorrido. A estrada é longa e o tempo é curto. Não deixe de fazer nada que queira, mas tenha responsabilidade e maturidade para arcar com as conseqüências destas ações.

5 comentários:

Rafael Reinehr disse...

Ei! Parabéns pela estréia no Blogverso! E já filosofando, assim de cara!?!?! Moça corajosa! Vamos fazer algo neste fim-de-semana?

Cintia disse...

Gostei!!

giulia_aru disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
giulia_aru disse...

Muuuito bom esse texto, já tinha lido algumas vezes, e sempre o achei perfeito! O final é a realidade da vida! (:

Filósofa nããão?

Gina disse...

Caramba! Por onde andava você antes de escrever pra nós?

Te amo muito . .

Bjs